Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)

Deixe um comentário

O Brasil, de acordo com os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), atingiu as metas estabelecidas em todas as etapas do ensino básico — anos iniciais e anos finais do ensino fundamental e ensino médio.

Nos anos iniciais (primeiro ao quinto), o Ideb nacional alcançou 5,0. Ultrapassou não só a meta para 2011 (de 4,6), como também a proposta para 2013, que era de 4,9. Nessa etapa do ensino, a oferta é prioritariamente das redes municipais, que concentram 11,13 milhões de matrículas, quase 80% do total. O Ideb para os anos iniciais do ensino fundamental da rede municipal foi calculado em 5.222 municípios. A meta para 2011 foi alcançada por 4.060 deles (77,5%).

Nos anos finais (sexto ao nono) do ensino fundamental, o Ideb nacional atingiu 4,1 em 2011 e ultrapassou a meta proposta, de 3,9. Considerada tão-somente a rede pública, o índice nacional chegou a 3,9 e também superou a meta, de 3,7.

De todos os municípios submetidos à avaliação do Ideb para os anos finais do ensino fundamental (cerca de 4,3 mil), 62,5% atingiram as metas, que foram superadas também em todas as regiões do país.

Em termos nacionais, incluídos ensino público e particular, foi igualada em 2011 a meta para o ensino médio, de 3,7. O indicador é obtido pelas notas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e pela taxa média de aprovação percentual.

Entenda as metas de qualidade

O Ideb foi criado pelo Inep em 2007, em uma escala de zero a dez. Sintetiza dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: aprovação e média de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática. O indicador é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Saeb e a Prova Brasil.

A série histórica de resultados do Ideb se inicia em 2005, a partir de onde foram estabelecidas metas bienais de qualidade a serem atingidas não apenas pelo País, mas também por escolas, municípios e unidades da Federação. A lógica é a de que cada instância evolua de forma a contribuir, em conjunto, para que o Brasil atinja o patamar educacional da média dos países da OCDE. Em termos numéricos, isso significa progredir da média nacional 3,8, registrada em 2005 na primeira fase do ensino fundamental, para um Ideb igual a 6,0 em 2022, ano do bicentenário da Independência.

Assessoria de Imprensa Inep/MEC

 

Criação- Jornal da Escola Estadual Joaquim Saraiva com o apoio do PIBD/UFU

Deixe um comentário

Alunos dos 7ºs anos 3,4 e 6 do turno da manhã – professora Daniela Sousa, participantes da primeira oficina oferecida, pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência -PIBD/UFU -Sub – projeto Letras/Português. Esta oficina tem como objetivo a criação de um jornal que conterá textos de autoria destes alunos, incentivando desta forma a leitura, pesquisa e produção de texto.

1545580_363702060446277_6627467799705688039_n 1620441_363702133779603_2728465684136850460_n 10359220_363702117112938_1415252208916128894_n 10440755_363702167112933_3938912860533000459_n 10487348_363702193779597_563754543777961641_n 10505380_363702027112947_4683351591680953206_n 10603250_363702010446282_2422794869570640343_n 10603486_363702243779592_4474401066052092158_n 10623049_363702093779607_7887253773667741446_n 10639437_363702217112928_8812650055767150281_n